A prática de combinações com drogas, álcool e energéticos pode levar à morte

Durante o carnaval é comum a prática de combinações com drogas, álcool e energéticos. O cuidado com esse ato deve ser dobrado, pois o que seria uma brincadeira pode vir a ser fatal. É neste período que parte dos jovens tem seu primeiro contato com as substâncias químicas. Além de perigosas para a saúde, elas podem causar a dependência e provocar circunstâncias piores futuramente.


No carnaval costumam aparecer também as drogas da época, como ectasy, lança-perfume e loló. A segunda é um produto industrializado em forma de um spray, produzido na Argentina, com efeito sedativo que provoca a sensação de leveza, sonolência e bem-estar. O líquido, que é à base de cloreto de etila e acondicionado sob pressão em ampolas de vidro, devido a combinação do gás e perfume, ao ser liberado forma um fino jato com efeito congelante. O lança-perfume é proibido no Brasil desde 1961, quando foi considerado entorpecente.
Já o loló é uma cópia caseira do lança-perfume, que pode conter éter, clorofórmio ou xilocaína, substâncias voláteis e inalantes.
De acordo com a lei (nº 6.368/76), quem fornece, ainda que gratuitamente, o lança-perfume pode pegar de três a 15 anos de reclusão e quem porta, de seis meses a dois anos.

As drogas podem ser calmantes ou excitantes. Elas são utilizadas para relaxar com sentido inebriante ou agitar, estimulando emoções ou desejos. Atualmente é comum o uso de drogas modernas, conhecidas por drogas sintéticas, desenvolvidas em laboratório baseadas em afetaminas, ácidos e antidepressivos.

Os efeitos do álcool dependem de fatores como: a quantidade de álcool ingerida em determinado período, uso anterior de álcool e a concentração de álcool no sangue. O uso do álcool causa desde uma sensação de calor até o coma e a morte, dependendo da concentração que o álcool atinge no sangue.

Para um coração saudável, dependendo da quantidade de droga ingerida, as conseqüências podem desencadear problemas ou mesmo chegar a óbito. As pessoas diabéticas devem ficar atentas, pois o consumo exagerado de álcool baixa a taxa de glicemia.
RESPINGO
O anti-respingo de solda é uma droga alternativa forte e prejudicial que é usada indevidamente. Ela serve para evitar aderência entre peças e é vendida normalmente no comércio, mas por causar sintomas semelhantes ao do lança-perfume pode ser facilmente encontrado em festas. O uso desse produto é um perigo para a saúde face ao alto poder de intoxicação, quando utilizados de maneira indevida, como náuseas, vômitos, desmaios, problemas de estômago e tosse constante.

Efeitos do álcool
Doses até 99mg/dl: sensação de calor/rubor facial, prejuízo de julgamento, diminuição da inibição, coordenação reduzida e euforia;

Doses entre 100 e 199mg/dl: aumento do prejuízo do julgamento, humor instável, diminuição da atenção, diminuição dos reflexos e incoordenação motora;
Doses entre 200 e 299mg/dl: fala arrastada, visão dupla, prejuízo de memória e da capacidade de concentração, diminuição de resposta a estímulos, vômitos;

Doses entre 300 e 399mg/dl: anestesia, lapsos de memória, sonolência;

Doses maiores de 400mg/dl: insuficiência respiratória, coma, morte.
Exemplos de combinações de drogas consideradas de alto risco.

Muito embora seja difícil fazer uma overdose só com benzodiazepinas, a combinação de uma grande dose de benzodiazepinas com uma grande dose de ácool ou de um opiáceo como a heroína ou a metadona por ser fatal.

Quando o ecstasy é consumido juntamente com ácool, os riscos para a saúde aumentam porque o álcool diminui a regulação térmica e aumenta a desidratação.

Quando a cocaína é combinada com álcool, essa combinação pode ser mais diretamente tóxica para o coração e o fígado do que a cocaína ou o álcool consumidos isoladamente. O ácool está muitas vezes presente nos casos de parada cardíaca provocada pelo consumo de cocaína.

O consumo combinado de diferentes estimulantes, incluindo bebidas energéticas, pode levar a uma hiperatividade do sistema simpático que pode resultar numa diminuição da regulação térmica e da função cardíaca.
Fonte: Jornal O Mossoroense

0 comentários! Clique aqui e comente!:

Publicar um comentário