Médicos entram em greve por tempo indeterminado

A partir de assembleia geral realizada na última quinta-feira, os médicos do Rio Grande do Norte decidiram paralisar as atividades a partir de hoje em todo o Estado.

A confirmação parte do presidente do sindicato da categoria, Geraldo Ferreira.

Com a paralisação, não haverá atendimentos nos 16 hospitais regionais e nas unidades de referência espalhadas de todo o Rio Grande do Norte.

Como prevê a lei de greve, o governo lembra que 30% dos profissionais devem continuar trabalhando durante a paralisação.

Entre as principais reivindicações da categoria estão a melhoria das condições de trabalho, o aumento no número de médicos por escala de plantão, além do reajuste salarial para R$ 7.200 para profissional que trabalha 40 horas semanais.

Atualmente, o médico que cumpre esse horário recebe R$ 2.100, além de uma gratificação no valor de R$ 1.100.

Em entrevista concedida na manhã de ontem, o vice-governador Iberê Ferreira de Souza fez um apelo aos mais de mil médicos pertencentes ao quadro da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap).

Por telefone, Iberê conversou ao vivo com o presidente do Sindicato dos Médicos, Geraldo Ferreira, e disse que o Governo está sensível às reivindicações e que quer negociar com a categoria.

"Defendo o direito de greve, mas acho que esse é um momento inoportuno, já que estamos às vésperas do Carnaval e a população certamente será prejudicada com essa decisão. Queremos negociar e estamos de acordo com muitas das reivindicações da categoria. O governo está sensível ao pleito", disse o vice-governador.

Fonte: Jornal O Mossoroense

0 comentários! Clique aqui e comente!:

Publicar um comentário