Dia de orar por uma paz permanente

Natal é dia de troca de presentes, amigos secretos, roupas novas, jardins e casa iluminada, músicas e muita bebida e comida. Mas, será que é somente isto? É importante que cada um reflita por um momento e relembre que todos esses ingredientes são frutos da fé, que encaminham para a fé e todas as ações representam uma demonstração de amor, que se traduz na intimidade familiar, na solidariedade para com as pessoas mais pobres, na luta pela vida e por uma paz permanente. Em várias partes do mundo, cada povo, cada religião, comemora da maneira que melhor lhe convier. No Brasil, o mais comum é reunir a família e os amigos para um lauto jantar e troca de presentes.
Muito embora a maioria dos cristãos comemore o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro, nem todos consideram essa data, e o importante não é a data em si, mas o acontecimento: Jesus nasceu.
Os ortodoxos, por exemplo, comemoram o Natal no dia 6 de janeiro e os armênios, no dia 19 do mesmo mês. Biblicamente, dois fatos importantes demonstram que o nascimento de Cristo não se deu em nenhuma dessas datas. O contexto de Lucas, por exemplo, revela que o nascimento do Messias ocorreu em um verão: o recenseamento.
A data atual foi fixada no ano de 350, a fim de estabelecer um ponto comum entre as correntes religiosas da época e também cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste período. A idéia central destas comemorações revela claramente esta origem: as noites eram mais longas e frias no Hemisfério Norte, pelo que se suplicava pelo retorno da luz. A liturgia natalina retoma esta idéia e identifica Cristo como a verdadeira luz do mundo.
Ficou estabelecido, então, que as comemorações natalinas teriam um período de 12 dias iniciando-se em 25 de dezembro (suposto Nascimento de Jesus Cristo) e terminando em 6 de janeiro (data da Epifania).
Que Deus e seu filho Jesus sejam lembrados hoje e sempre, acima de tudo e de todos. A Jesus seja dada toda a honra, glória, louvor, amor e adoração.
As diferentes comemorações do maior aniversário do mundo
A maior festa de aniversário do mundo tem várias comemorações diferentes, principalmente em meio à comunidade evangélica. Cada igreja tem a sua celebração. Algumas não admitem uma celebração em homenagem àquele que mudou a história mundial. Por mais que os seguidores do paganismo possam desconsiderar a pessoa de Jesus, a reação de não aceitar o marco da história é inaceitável, pois todos são marcados por ANTES DELE e DEPOIS DELE. Acompanhe como algumas das igrejas mais famosas celebram o Dia de Natal.
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
É proibido celebrar o dia do nascimento; não pode nem mesmo mandar cartão! Dão como base bíblica o aniversário de Herodes, quando João Batista foi decapitado, e outros aniversários citados na Bíblia em que aconteceu algo catastrófico. Não comemoram o Natal.
IGREJA BATISTA
O nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus, é o maior acontecimento da humanidade porque traz esperança ao mundo, faz sonhar com tempos melhores, renova nossas forças e cria novas expectativas para o ano que se inicia.
Os evangélicos costumam comemorar a data com uma série de encontros por meio de dança, teatro e música, onde todos são convidados para celebrar o Natal em sua plenitude.
ADVENTISTA DO 7º DIA
Segundo o oficial Aragonês Fernandes, a sua igreja se reúne normalmente para uma celebração neste domingo, tudo dentro da formalidade. O dia 25 de dezembro é supostamente o dia do nascimento de Jesus Cristo, o que já se tornou um costume popular. Entretanto, não há certeza de que se esteja guardando o verdadeiro dia do nascimento do Salvador.
ASSEMBLÉIA DE DEUS
Os evangélicos da Assembléia de Deus têm um ritual diferente para comemorar o Natal. Primeiro, a celebração acontece de maneira individual, ou seja, cada segmento da igreja realiza o seu cerimonial, mas a comemoração principal é realizada no Templo Maior reunindo todas as igrejas.
Fonte: Jornal O Mossoroense --> www.omossoroense.com.br

0 comentários! Clique aqui e comente!:

Publicar um comentário